Make your own free website on Tripod.com

Click Here! SINAIS DOS TEMPOS

    

  RETORNAR À PÁGINA INICIAL

RETORNAR À PÁGINA APOCALIPSE REVELADO

                                                              E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. João 17:3  -            Ouve Israel o SENHOR  (YWHW),  nosso Deus, é o único SENHOR  (YWHW)   . Deuteronômio 6: 4.  -       ... ao único Deus, nosso Salvador, mediante Jesus Cristo, Senhor nosso, glória, majestade, império e soberania, antes de todas as eras, e agora, e por todos os séculos. Amém.    Judas 25.

  2.  O FUTURO REVELADO DIVINAMENTE

Quatro Bestas revelam o futuro - Dan. 8:26

Daniel 2

No segundo ano do reinado de Nabucodonosor, teve este um sonho; o seu espírito se perturbou, e passou-se-lhe o sono. Então, o rei mandou chamar os magos, os encantadores, os feiticeiros e os caldeus, para que declarassem ao rei quais lhe foram os sonhos; eles vieram e se apresentaram diante do rei. (Daniel 2:1-2 RA). Respondeu o rei e disse aos caldeus: Uma coisa é certa: se não me fizerdes saber o sonho e a sua interpretação, sereis despedaçados, e as vossas casas serão feitas monturo; (Daniel 2:5 RA). Responderam os caldeus na presença do rei e disseram: Não há mortal sobre a terra que possa revelar o que o rei exige; pois jamais houve rei, por grande e poderoso que tivesse sido, que exigisse semelhante coisa de algum mago, encantador ou caldeu. (Daniel 2:10 RA). Então, o rei muito se irou e enfureceu; e ordenou que matassem a todos os sábios da Babilônia. (Daniel 2:12 RA). E disse a Arioque, encarregado do rei: Por que é tão severo o mandado do rei? Então, Arioque explicou o caso a Daniel. (Daniel 2:15 RA). Então, foi revelado o mistério a Daniel numa visão de noite; Daniel bendisse o Deus do céu. (Daniel 2:19 RA). Por isso, Daniel foi ter com Arioque, ao qual o rei tinha constituído para exterminar os sábios da Babilônia; entrou e lhe disse: Não mates os sábios da Babilônia; introduz-me na presença do rei, e revelarei ao rei a interpretação. (Daniel 2:24 ). Respondeu Daniel na presença do rei e disse: O mistério que o rei exige, nem encantadores, nem magos nem astrólogos o podem revelar ao rei; mas há um Deus no céu, o qual revela os mistérios, pois fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de ser nos últimos dias. O teu sonho e as visões da tua cabeça, quando estavas no teu leito, são estas: (Daniel 2:27-28 RA). Tu, ó rei, estavas vendo, e eis aqui uma grande estátua; esta, que era imensa e de extraordinário esplendor, estava em pé diante de ti; e a sua aparência era terrível. A cabeça era de fino ouro, o peito e os braços, de prata, o ventre e os quadris, de bronze; as pernas, de ferro, os pés, em parte, de ferro, em parte, de barro. Quando estavas olhando, uma pedra foi cortada sem auxílio de mãos, feriu a estátua nos pés de ferro e de barro e os esmiuçou. Então, foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a palha das eiras no estio, e o vento os levou, e deles não se viram mais vestígios. Mas a pedra que feriu a estátua se tornou em grande montanha, que encheu toda a terra. (Daniel 2:31-35 RA). Tu, ó rei, rei de reis, a quem o Deus do céu conferiu o reino, o poder, a força e a glória; a cujas mãos foram entregues os filhos dos homens, onde quer que eles habitem, e os animais do campo e as aves do céu, para que dominasses sobre todos eles, tu és a cabeça de ouro. Depois de ti, se levantará outro reino, inferior ao teu; e um terceiro reino, de bronze, o qual terá domínio sobre toda a terra. O quarto reino será forte como ferro; pois o ferro a tudo quebra e esmiuça; como o ferro quebra todas as coisas, assim ele fará em pedaços e esmiuçará. (Daniel 2:37-40 RA). Mas, nos dias destes reis, o Deus do céu suscitará um reino que não será jamais destruído; este reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos estes reinos, mas ele mesmo subsistirá para sempre, (Daniel 2:44 RA). Disse o rei a Daniel: Certamente, o vosso Deus é o Deus dos deuses, e o Senhor dos reis, e o revelador de mistérios, pois pudeste revelar este mistério. Então, o rei engrandeceu a Daniel, e lhe deu muitos e grandes presentes, e o pôs por governador de toda a província da Babilônia, como também o fez chefe supremo de todos os sábios da Babilônia. (Daniel 2:47-48 RA).

Obs: Leia todo o capítulo 2...

Deus, na interpretação deste sonho, esboça a história terrestre desde os dias de Nabucodonosor até ao fim do mundo. Mediante os diferentes metais da estátua, revela Ele que haveria quatro impérios mundiais sucessivamente. A História revela que foram eles: BABILÔNIA (a cabeça de ouro), MÉDIA-PÉRSIA (peito e braços de prata), GRÉCIA (coxas de bronze), e ROMA (pernas de ferro). Por essa imagem mostra Ele que o quarto império mundial seria dividido, conforme foi representado pelos pés de ferro e barro. Interessante notar que o Império romano foi substituído pelas dez tribos bárbaras que hoje formam os países da atual Europa. Notemos também que o vs. 43 destaca que estes reinos tentariam unir-se mediante casamento, porém isto não seria possível (o ferro com o barro não se liga). Jamais formarão um novo império mundial apesar de todas as tentativas históricas...

NOTA: Nos dias de hoje estamos vendo a última tentativa de se formar um impero - a UE (União Européia) mas a profecia é clara: NÃO SE JUNTARÃO! Daniel 2:43



Daniel 7

No primeiro ano de Belsazar, rei da Babilônia, teve Daniel um sonho e visões ante seus olhos, quando estava no seu leito; escreveu logo o sonho e relatou a suma de todas as coisas. Falou Daniel e disse: Eu estava olhando, durante a minha visão da noite, e eis que os quatro ventos do céu agitavam o mar Grande. Quatro animais, grandes, diferentes uns dos outros, subiam do mar. O primeiro era como leão e tinha asas de águia; enquanto eu olhava, foram-lhe arrancadas as asas, foi levantado da terra e posto em dois pés, como homem; e lhe foi dada mente de homem. Continuei olhando, e eis aqui o segundo animal, semelhante a um urso, o qual se levantou sobre um dos seus lados; na boca, entre os dentes, trazia três costelas; e lhe diziam: Levanta-te, devora muita carne. Depois disto, continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um leopardo, e tinha nas costas quatro asas de ave; tinha também este animal quatro cabeças, e foi-lhe dado domínio. Depois disto, eu continuava olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal, terrível, espantoso e sobremodo forte, o qual tinha grandes dentes de ferro; ele devorava, e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele e tinha dez chifres. Estando eu a observar os chifres, eis que entre eles subiu outro pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava com insolência. Continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e o Ancião de Dias se assentou; sua veste era branca como a neve, e os cabelos da cabeça, como a pura lã; o seu trono eram chamas de fogo, e suas rodas eram fogo ardente. Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e miríades de miríades estavam diante dele; assentou-se o tribunal, e se abriram os livros. (Daniel 7:1-10). Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha com as nuvens do céu um como o Filho do Homem, e dirigiu-se ao Ancião de Dias, e o fizeram chegar até ele. Foi-lhe dado domínio, e glória, e o reino, para que os povos, nações e homens de todas as línguas o servissem; o seu domínio é domínio eterno, que não passará, e o seu reino jamais será destruído. (Daniel 7:13-14 RA) Estes grandes animais, que são quatro, são quatro reis que se levantarão da terra. (Daniel 7:17 RA) Então, tive desejo de conhecer a verdade a respeito do quarto animal, que era diferente de todos os outros, muito terrível, cujos dentes eram de ferro, cujas unhas eram de bronze, que devorava, fazia em pedaços e pisava aos pés o que sobejava; (Daniel 7:19 RA) Então, ele disse: O quarto animal será um quarto reino na terra, o qual será diferente de todos os reinos; e devorará toda a terra, e a pisará aos pés, e a fará em pedaços. Os dez chifres correspondem a dez reis que se levantarão daquele mesmo reino; e, depois deles, se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis. Proferirá palavras contra o Altíssimo, magoará os santos do Altíssimo e cuidará em mudar os tempos e a lei; e os santos lhe serão entregues nas mãos, por um tempo, dois tempos e metade de um tempo. Mas, depois, se assentará o tribunal para lhe tirar o domínio, para o destruir e o consumir até ao fim. (Daniel 7:23-26 RA).

Obs: Leia todo o capítulo 7...

Daniel, agora a serviço dos Medos que subjugaram os babilônios, têm uma nova visão sobre o futuro. Deus usa agora animais (BESTAS) para tipificar os futuros reinos... Ao começar com a primeira besta referiu-se ao reino destituído, ou seja: Babilônia cujo símbolo mundial sempre foi um LEÃO (vs.4). Na seqüência surge um Urso que pendia para um lado, ou seja o Império Medo (mais forte) unido com a Pérsia e que haviam subjugado três outras nações (vs.5). Depois, o Leopardo representando Alexandre o Grande (Grécia) com os seus quatro generais (cabeças) e que, com grande rapidez (4 asas mais que veloz) conquistou os impérios de seus dias (vs. 6). No vs. 7 vemos agora uma Besta sem descrição, tão espantoso que é. Cujos dentes de ferro representa o quarto império: Roma Imperial. Observe a presença dos dez chifres (as tribos bárbaras que formavam o que hoje conhecemos como Europa). Veja também que entre estes surge um pequeno chifre que para estabelecer-se arranca três do dez existentes (a atual Itália é fruto da derrota de três tribos bárbaras para este décimo-primeiro poder que tornou-se conhecido como a Roma Papal (vs.8). Após isto surge o cristianismo e finalmente o estabelecimento de um Reino Eterno (vs.18). Interessante notar que ao retornar a descrição do quarto animal temos mais uma característica comprovada pela história mundial: unhas de bronze. Hoje, sabemos que Roma surgiu de um dos quatro reinos em que foi dividido a antiga Grécia após a morte prematura de Alexandre que não tinha herdeiros. (O Império Grego bronze foi dividido entre os generais de Alexandre).


Daniel 8

No ano terceiro do reinado do rei Belsazar, eu, Daniel, tive uma visão depois daquela que eu tivera a princípio. (Daniel 8:1 RA). Então, levantei os olhos e vi, e eis que, diante do rio, estava um carneiro, o qual tinha dois chifres, e os dois chifres eram altos, mas um, mais alto do que o outro; e o mais alto subiu por último. Vi que o carneiro dava marradas para o ocidente, e para o norte, e para o sul; e nenhum dos animais lhe podia resistir, nem havia quem pudesse livrar-se do seu poder; ele, porém, fazia segundo a sua vontade e, assim, se engrandecia. Estando eu observando, eis que um bode vinha do ocidente sobre toda a terra, mas sem tocar no chão; este bode tinha um chifre notável entre os olhos; dirigiu-se ao carneiro que tinha os dois chifres, o qual eu tinha visto diante do rio; e correu contra ele com todo o seu furioso poder. Vi-o chegar perto do carneiro, e, enfurecido contra ele, o feriu e lhe quebrou os dois chifres, pois não havia força no carneiro para lhe resistir; e o bode o lançou por terra e o pisou aos pés, e não houve quem pudesse livrar o carneiro do poder dele. O bode se engrandeceu sobremaneira; e, na sua força, quebrou-se-lhe o grande chifre, e em seu lugar saíram quatro chifres notáveis, para os quatro ventos do céu. De um dos chifres saiu um chifre pequeno e se tornou muito forte para o sul, para o oriente e para a terra gloriosa. Cresceu até atingir o exército dos céus; a alguns do exército e das estrelas lançou por terra e os pisou. (Daniel 8:3-10 RA). Aquele carneiro com dois chifres, que viste, são os reis da Média e da Pérsia; mas o bode peludo é o rei da Grécia; o chifre grande entre os olhos é o primeiro rei; o ter sido quebrado, levantando-se quatro em lugar dele, significa que quatro reinos se levantarão deste povo, mas não com força igual à que ele tinha. (Daniel 8:20-22 RA). Por sua astúcia nos seus empreendimentos, fará prosperar o engano, no seu coração se engrandecerá e destruirá a muitos que vivem despreocupadamente; levantar-se-á contra o Príncipe dos príncipes, mas será quebrado sem esforço de mãos humanas. A visão da tarde e da manhã, que foi dita, é verdadeira; tu, porém, preserva a visão, porque se refere a dias ainda mui distantes. (Daniel 8:25-26 RA).

Obs: Leia todo o capítulo 8...



No fim do capítulo 7 (vs.28) vimos que Daniel ficou confuso mas não se manifestou. Dois anos depois o próprio Senhor volta, em visão, para confirmar o futuro das nações. Agora usou dois animais menos temerosos mas com características tais que nos permite reconhecermos novamente os futuros reinos que sucederam o Império babilônico. Vejamos: No vs. 4 temos um carneiro que dava marradas em todas as direções (a Medo-Pércia conquistando as nações vizinhas). No vs. 5 ele (Daniel) vê agora um Bode que vinha do ocidente (a Grécia) com estrema velocidade que nem ao menos tocava ao chão. O seu chifre notável era Alexandre o Grande. Já no vs. 8 vemos os quatro generais de Alexandre assumindo o império grego agora dividido. E, após estes, surge um pequeno chifre que torna-se mais poderoso que os demais: a Roma Papal (vs.9). Após estes reinos, a visão começa a destacar o cristianismo. Mas, por hora é interessante notar que as três visões (cap. 2, 7 e 8) representam as mesmas nações e que não é nossa a interpretação a que nações elas se referem, pois o próprio texto bíblico nos dá o seu significado nomeando os reinos (nações). Veja o vs. 20, 21 do cap. 8. E a história universal nos mostra que reino substituiu a Grécia antiga: a Roma Imperial...
 

 

                                                       RETORNAR PARA O INÍCIO DESTA PÁGINA

                                                  RETORNAR À PÁGINA APOCALIPSE REVELADO

                                                          RETORNAR PARA A PÁGINA INICIAL